Como evitar a inadimplência

A inadimplência implica no não pagamento de uma conta ou dívida. O consumidor inadimplente, além de ter uma dívida em aberto, compromete o capital de giro e a saúde financeira das empresas. A assessora jurídica da Unindústria, Gilce Lerner, destaca algumas dicas para reduzir a inadimplência e os problemas que esta acarreta para as indústrias e os gestores das associadas.

Em um momento econômico tão delicado, é importante estar atento se sua empresa está, em alguma medida, contribuindo para o aumento da inadimplência. A busca de resultados rápidos, impulsionando produção e vendas sem a tomada de algumas cautelas preventivas pode ser um comportamento gerador de inadimplência que compromete negócios a médio e longo prazo. 

De acordo com Gilce, cada empreendedor deve buscar estratégias para, de acordo com o perfil do negócio e dos clientes, agir com maior segurança e qualidade. Em momentos de crise, a quantidade pode ser um fator de mera despesa e perda de energia, não de lucro. “Estatisticamente o consumidor-impulsivo gera mais inadimplência do que o adquirente planejado. Detecte-o. Importante consultar o perfil financeiro do consumidor, verificando nos cadastros de inadimplentes a existência de negativações, protestos ou qualquer tipo de problema que restrinja seu nome”, explicou a advogada.

Outros procedimentos internos simples podem auxiliar na redução da inadimplência e na recuperação dos valores pendentes. Gilce destaca que nas vendas a prazo é imprescindível solicitar a documentação do cliente. Um cadastro completo, com todos os dados, incluindo CPF, endereço pessoal e profissional (inclusive, se possível, do cônjuge), e-mails, telefones e redes de contato digital podem ajudar a conter as taxas de inadimplência ou facilitar a recuperação dos créditos. 

Na era digital, Gilce lembra que o relacionamento com o cliente pode ser expandido. “Implementar práticas inovadoras, desde que não invasivas ou constrangedoras, pode ser uma boa solução, visto que manter contato apenas por telefone não é mais suficiente. Um atendimento multicanal, aliado à inteligência de dados e análise preventiva de perfil aumenta as chances de renegociação de dívidas. Lembre-se: grande parte dos devedores sofrem com isso e querem resolver. Mantenha uma linha de comunicação”, explicou.

Além dessas dicas, a assessora jurídica lembra que em inúmeros negócios é indispensável que um contrato seja bem redigido. Um contrato claro, transparente e adequado ao caso concreto confere maior segurança, previne litígios e reduz as chances de inadimplemento.

É preciso todos estes cuidados para não se tornar uma empresa devedora ao tentar recuperar a inadimplência. São comuns ações judiciais buscando indenização por danos morais pela ausência de notificação prévia do devedor a respeito de sua inclusão no cadastro de inadimplentes (SPC/SERASA); por ter pago ou renegociado o débito e não ter sido retirada a restrição negativa; pela credora depositar cheques pré-datados antes das datas avençadas e outros casos. Portanto, em caso de dúvida, faça contato com a Unindústria e utilize o serviço de assessoria jurídica disponibilizado.
 
 

Compartilhe

Receba nossas novidades